quinta-feira, 29 de Dezembro de 2011

Meloas, melões e abóboras

Algumas pequenas histórias sobre o melão/meloa:

* Segundo crenças muçulmanas, o melão cresce no paraíso, onde é o fruto favorito de Allãh (Deus). Além disso representa a fertilidade, pois é portador de imensas sementes.
* No Japão, o melão é considerado como uma bela oferenda – um presente principesco.
* Na Grécia antiga, falavam do melão como “uma maça assada ao sol”.
* O escritor Alexandre Dumas, era um enorme apaixonado deste fruto. No ano de 1864, a biblioteca de Cavaillon perguntou-lhe se ele estaria disposto a doar alguns dos seus livros, para aumentar a sua colecção. O escritor respondeu afirmativamente, mas com a condição de a cidade lhe pagar uma anuidade de doze (12) melões.
O Município aceitou o repto. Alexandre Dumas doou a sua obra (quase 400 volumes) em troca de 12 melões por ano, que recebeu até à sua morte em 1870!
* Um botânico e médico do rei Henrique III adjectiva: “o melão pode causar cólera morbus” (Mas que diarreia mental este gajo tinha…).
* O Papa Paulo II (1417 / 1471) morreu de apoplexia (AVC), depois de enfardar…dois grandes melões inteiros ao jantar.***
* No século X, um monge suíço afirma que o melão mantém “ a frescura nas vísceras”.
* Na idade da Renascença, uma variedade muito conhecida de melão nos nossos dias, que foi trazida pelos monges arménios, é assim apelidada porque era muito cultivada em Cantalupo, estância de verão dos Papas a poucos quilómetros de Roma.
* Voltaire, o grande escritor e filósofo iluminista francês, “coroou” o melão como o seguinte elogio: “a suprema obra-prima do verão”.

(***)
Oficialmente é esta a versão da sua morte, no entanto, uma lenda…afirma que o papa morreu depois de um acto sexual com um “giton” (= jovem graciosos e imaturo… ou na linguagem corrente…um homossexual ).
Este acontecimento faz com que Dominique Panaroli, médico italiano do século XVII, o “compare” a um «humor podre».

http://fr.wikipedia.org/wiki/Paul_II#cite_note-1  (ver a 2ª nota de referência)



*****************************************************************************
Nem tudo foi mau na temporada 2011, pois mesmo com muita doença, ainda assim deu para degustar muitos tomates e cucurbitáceas!

Meloa Charentais
Melão lunéville
Muito fracote este ano. Insípido…
Meloa Marusja Lesevickja? (origem ex URSS) ou PI 2800? (Hungria) - não me lembra qual delas é?
Adeus (tanto uma como a outra)…
Melão Healy`s Pride
Este foi o melão mais saboroso da temporada 2010, mas este ano o sabor já foi decepcionante.
Devido às circunstâncias climáticas…está desculpado… 
Healy´s Pride
As vinhas desta espécie são, em relação a todas as outras espécies que já cultivei, muito resistente à doença.
Fileira com 14 ou 16 (?) pés de meloas (charentais, meloa portuguesa, PI 2800, petit gris de rennes, marusja lesevickja e doce de tours).
Para o ano tenho de fazer com que todas as vinhas fiquem suspensas. Não quero nada no chão! Acho que já entendi o sistema para que tal aconteça…
Além disso só irei cultivar uma espécie de meloa.
Colheita de três meloas doce de tours e duas charentais.
 Esta imagem é uma meloa charentais.
Acreditem: são super deliciosas! Dei várias meloas aqui na vizinhança e todos gabaram a sua grande doçura.
Apenas um senão… São a espécie mais susceptível ao oídio que até à data cultivei. Por isso pretendo retirar toda a rama do chão, e além disso vou enxertá-las em duas ou três espécies diferentes de porta enxerto, para ver qual a que dá melhor resultados. 
Mesmo afectadas com um “violento” oídio consegui colher imensas meloas. E deliciosas!
Também é verdade que deitei uma data de meloas para a compostagem, “corroídas” com oídio.
Tenho a salientar que, cultivei esta espécie pela primeira vez, e como se nota pelas imagens a sua cor não é nada igual à original francesa. Daí concluo…que as sementes que adquiri de uma marca portuguesa (FL), são simplesmente híbridas…
Já comprei outra carteirinha de sementes desta espécie, mas agora foi de uma marca estrangeira á venda em Portugal.
Além disso, contactei a marca por mail sobre a pureza das sementes, e recebi como resposta a garantia… de o serem em 99%. A ver vamos…
Espero que o Universo conspire a meu favor desta vez… 
Melão prescott hatiff.
Para quem seguiu as etapas da minha temporada, deve-se lembrar o quanto gabei esta espécie em relação às outras, pois era a que se desenvolvia melhor.
Nem sequer uma semana após ter escrito no blog os elogios… que a “marvada” foi às urtigas…com uma doença em que a vinha murchou (?), e não foi por falta nem excesso de água.
Meloa doce de tours.
Eis o melhor exemplo de como se sabe quando UMA MELOA está madura.
Primeiro, e nas meloas, mudam de cor.
Segundo, e em 60% das espécies que já cultivei, exalam um aroma doce. Digo 60% porque nem todas as meloas são odoríferas, pois já cultivei meloas inodoras (PI 2800, marusja lesevickja, collective farm woman, gurbek, opal kugel).
Terceiro, o pedúnculo começa a desprender-se da meloa – é o exacto momento para colher.
Atenção que nos melões já não é este o procedimento…
Por exemplo: o branco do Ribatejo, melão verde, tendral, etc., são melões inodoros, e além disso o pedúnculo não se desprende por ele próprio. Por isso olho fino…   
Abóbora “musquée de provence” em crescimento; e pendurada em cima de uma vedação com rede.
Musquée de Provence (Cucurbita Mochata) já colhida, e com cinco quilos e pouco.
É uma espécie de grande conservação (ao ar livre). Aproximadamente um ano.
É muito boa na sopa, mas continuo a preferir o potimarron.
Melão Banana.                                                                                                  
É um melão de origem americana.
Não cresceu muito pois ficou debaixo da figueira, onde só apanhava sol a partir do meio-dia.
Se bem me lembro (?) pesava à volta de 1.5/2kg, e foi o melhor melão que degustei este ano.
Este é o Old Time Tennessee.
Também não foi mau de todo; mas não podia exigir mais quando semeei os melões numa cama sem plástico, e encobertos pela sombra de uma figueira uma parte do dia, e além disso, aquele solo já tem demasiadas doenças…das culturas dos outros anos. 
Old Time Tennessee em fase de crescimento.
Este ano não consegui ter melancias. Ou melhor…consegui isto que se vê na imagem (de 31 de Julho).
Primeiro não consegui fazer germinar as sementes da Orangeglo na mesma data que semeei as outras cucurbitaceas – simplesmente porque não germinaram. Depois, e ao fim de várias tentativas, e quase todas as sementes “gastas”, lá germinou 3 ou 4 pés. O problema é que já era finais de Julho (mas mesmo assim ainda podia ter tempo…), e para piorar, o oídio das meloas devastou os 3 pés de melancia que havia transplantado.
Acho que em 2012 não terei melancia Orangeglo, pois se as sementes este ano já deram problemas, então a meia dúzia que me resta não tem muita margem de manobra…

2 comentários:

Rui Esteves disse...

Viva António,

Para o próximo ano tenho grandes planos para melões e meloas depois conto.

BOAS ENTRADAS PARA 2012

Um abraço

Paixão da Horta disse...

Olá Rui, viva!

Desculpa não te ter respondido esta semana - fica para o próximo ano..e para a próxima semana.
Já tirei imagens sobre a forma de podar árvores. Depois envio-tas por mail!

FELIZ ANO 2012, para ti e para os teus - com muita SAÚDE, PAZ E HARMONIA!

Saúde,
António