sexta-feira, 1 de Junho de 2012

Capar Melões

Este post é reeditado com o intuito de responder ao comentário de um visitante.
Como a minha resposta é longa e não dá para fazer na caixa dos comentários, então faço aqui. Além disso assim todos podem ver a omissão que este post contêm; e conhecer os novos links que deixo.

P.S. - Este fim-de-semana haverá novo post (julgo que interessante)!
**************************************************************
Eis o comentário do visitante, e depois a minha resposta:

 Fernando Miranda deixou um novo comentário na sua mensagem "Capar Melões":

É muito meritória a sua paixão pelas hortas, mas no seu post apresenta algumas incorreções. Cito apenas algumas poucas para não ser fastidioso:
As meloas e alguns melões não têm flores fêmeas (flores femininas),mas sim hermafroditas.
Uma flor fêmea não tem pólen (o pólen existe nas flores masculinas e nos orgãos masculinos das flores hermafroditas)

Segundo, o pólen de uma flor fêmea, segundo li num site estrangeiro, só é viável por um dia,


*
 
Agradeço a sua paixão de corrigir os meus erros! Diria ser meritória se não pecasse por defeito...
Factos:
1º - Como é muito atento (?), já deve ter lido neste blog que eu não tenho qualquer formação académica – portanto, o meu “diploma” de botânica é caseiro e cibernético! (Limito-me a ser ministro parlamentar…E por enquanto…)
Não sou licenciado mas também não sou estúpido! Sei fazer pesquisa dos factos, e compreende-los.
2º - Ao dizer que este post “apresenta incorrecções”, e depois afirma que só cita algumas “para não ser fastidioso”, está a colocar uma nódoa na minha pesquisa e respectivo comentário do post. Isto fica a “pairar” a manchado…que há mais incorrecções neste artigo/post (por favor, concretize!).
Se a sua afirmação fosse totalmente verídica, eu teria de aceitar o erro – com humildade ou revoltado… -, pois se o negasse estaria a ser uma espécie de maniqueísta botânico (etc), algo que repudio.
3º - Confesso que falhei na omissão do “pormenor” hermafrodita! Não me lembro se foi por descuido ou desconhecimento?? Mas sou capaz de apostar na segunda hipótese!
4º - Eu falhei por omissão, descuido ou desconhecimento. Você falha por desconhecimento ou implicação…
Você está completamente errado ao dizer que as meloas e alguns melões não têm flores fêmeas!
“Disparou” aqui a sua “bomba” mas não deixou provas (links) que a fundamentasse.

Eu deixo-lhe aqui as provas do seu erro, com factos e links.

Diz a Kokopeli:

« O melão é uma planta monóica, isto é, que carrega na mesma planta flores machos e flores fêmeas em lugares diferentes.

Ela pode-se auto-fecundar: uma flor fêmea pode ser fertilizada por pólen vindo de uma flor macho da mesma planta



«Em geral, as cucurbitáceas possuem flores masculinas e femininas em diferentes partes da planta.
«As flores masculinas (estaminadas = estame) têm apenas órgãos reprodutivos masculinos e produzem pólen, enquanto que as flores fêmeas (pistiladas = pistil) se transformam em frutas.
«Quando as plantas dão flores estaminadas e flores pistiladas distintas, eles são chamados monóicas.
«No entanto, quando elas portam flores bissexuais, também chamadas de perfeitos (cada uma constituído por órgãos masculinos e órgãos femininos), chamamos a essas plantas e suas flores de hermafroditas.
«A maioria das espécies de melão são andromonóicas, porque eles portam em primeiro flores estaminadas e depois flores bissexuais na mesma planta.»


Diz a INRA (Institut national de la recherche agronomique = França) :

«Uma equipe de pesquisadores do INRA com base em Evry (INRA-CNRS - Universidade de Evry) demonstrou o mecanismo genético pelo qual, no melão, uma flor masculina torna-se feminina. A maioria das plantas de flores possui flores hermafroditas, que têm ambos os órgãos sexuais masculinos e femininos. No entanto,mais de 4000 espécies, incluindo o melão, que desenvolvem flores unissexuais, apenas do sexo masculino ou feminino. Os investigadores acabam de identificado o mecanismo pelo qual estas flores unissexuais são formadas. Eles identificaram um gene envolvido no controlo da formação de órgãos do sexo feminino.
O estudo de genes que regulam a determinação do sexo no melão é de importância principal agronómico. Poderia efectivamente levar ao aumento da produtividade através da promoção da formação de flores femininas na origem da produção de frutos. Todos estes resultados estão publicados no site da revista "Nature".»
Aconselho a ler o artigo até ao fim lá no site. É muito elucidativo!
Poderá dizer que isto é uma “coisa francesa”, pois só aqui deixo referências francófonas.
Pois não deixo referências de sites em inglês porque simplesmente não entendo a língua, caso contrário pode apostar que o faria.

Continuando o rebate ao seu comentário: diz você “Uma flor fêmea não tem pólen (o pólen existe nas flores masculinas e nos orgãos masculinos das flores hermafroditas)”.
Tem razão na sua afirmação! Mas se fizesse atenção a todo o comentário, teria notado que isto não passou de uma gralha da minha parte, pois se mais abaixo eu afirmo “Cada semente que vemos no interior de um melão, é o resultado de uma partícula de pólen que foi fecundada.”. Ora, todos sabemos que o pólen representa no mundo botânico o mesmo que os espermatozóides no mundo animal! Eu não sou vesgo, sei bem a diferença da “fruta”!!!
É claro que sei que o pólen só existe nas flores masculinas e o ovário nas femininas!

Mas você “repreende-me” para o facto de eu dizer que as flores femininas não possuem pólen, mas logo de seguida você mete os pés pelas mãos…ao afirmar “Segundo, o pólen de uma flor fêmea…”.
Então, em que ficamos?!
Ok, eu levo isto na desportiva…e digo que você também é humano, com direito a errar.

Sobre o pólen só ser viável por um dia, eu tenho esse facto relatado no post. Não me diga que não leu?...Ou só leu o ”fermento de padeiro”…

Prontos, acho que está tudo…mas numa próxima não faça misturas…entre melões e cogumelos…

Num espírito de desportiva, para não haver ressentimentos, vou dizer que EMPATAMOS.

P.S. - Deixo aqui também um ENDEREÇO onde se pode ver a imagens de 3 flores de melão: uma feminina, outra masculina e por fim uma hermafrodita (último "quadro" da página). 
**************************************************************
Antes de mais quero relembrar que é preciso carregar nos sublinhados  ( menos neste que só serve como exemplo). Ao carregar nas palavras sublinhadas, irá aparecer um link com uma imagem ou texto (etc), sobre o comentário que estava a falar no momento!


Para quem pretende plantar melões, aqui vai umas pequenas dicas sobre o capar (ou podar):
Os melões podem ser plantados sem se capar; darão igualmente fruto. O objectivo de capar é abreviar ou apressar o aparecimento dos frutos e a consequente maturação. Imaginem que Portugal tinha 9 meses de calor e 3 de Inverno, ora, esses 9 meses eram mais do que suficiente para cultivar melões sem os capar, e assim não havia risco da chegada do Outono ou das geadas. Por isso se vê nos países mais a norte de Portugal, portanto mais frios, que praticam mais do que uma vez o capar (2, 3, 4).
Atenção: se Portugal tivesse os tais 9 meses de Verão, os melões também se adaptariam às circunstâncias… ou seja, tornar-se-iam mais tardios (exemplo: o Irão, um país mais quente do que Portugal, cultiva o “melão Persa” (entre outros) que tem como maturação 115 a 120 dias – isto a contar desde que nasceu o fruto e não a planta. Aqui a maturação das meloas é entre os 60 a 80 dias! Precisar 120 dias é mais do que as melancias – 80 a 100 dias de maturação. Verdade seja dita que o Casca de Carvalho, Verde Tendral, Pele de Sapo, etc, andam à volta dos 100 dias de maturação.
Outro dado: Como também já referi num texto anterior, as primeiras flores que aparecem nos melões, meloas, melancias (etc), são machos e portanto nunca darão fruto. Só algum tempo mais tarde, 2 a 3 semanas (?) é que começam aparecer as flores fêmeas, com um pequeno fruto na sua base (e que nesta fase se chama ovário), que precisam de ser polinizadas pelas abelhinhas – ou seja, as abelhas têm de poisar numa flor macho* e depois numa fêmea** (esquerda* - direita**   @@), transportando assim o pólen que irá fecundar a flor. Mas atenção, uma vez só não chega, é preciso que a flor fêmea seja visitada (no mínimo) umas 4 vezes…e isto nem sempre é garantido. Eu explico melhor: Primeiro, as abelhas não polinizam quando chove ou está muito vento! Segundo, o pólen de uma flor (masculina), segundo li num site estrangeiro, só é viável por um dia e normalmente num dia quente de verão só é eficaz das 7 da manhã até ao meio-dia; após isso, se a flor não foi polinizada acabará por murchar, já que o pólen “fermentará” com o calor, perdendo assim a sua função. Terceiro, não existe “uma lei ou código” das abelhas, fazendo com que poisem numa flor macho e logo de seguida “saltem” para uma flor fêmea, transportando assim o tão precioso pólen. A rota das abelhas é ao acaso.
(Cada semente que vemos no interior de um melão, é o resultado de uma partícula de pólen que foi fecundada. Não têm todos as mesmas quantidades de sementes)
Para ajudar na polinização, é conveniente plantar flores melíferas junto dos melões, atraindo assim mais abelhas (semeiem sempre as flores nas “costas” dos melões, ou seja, que os melões estejam sempre com o Sol em primeiro plano, e não as flores). Um estudo americano, diz que aumentou a produção de melões em 30%, ao plantar junto dos melões, as tais flores melíferas – neste caso foi a Borragem, mas existe mais espécies melíferas. Eu plantei a Borragem branca e a Phacelia, e confirmo que com a primeira planta, parece que “anda uma colmeia à solta” na horta… Simplesmente adorei ver tantas abelhinhas!
Também se podia fazer a polinização manual; algo que precisa de alguma prática (e que eu já pratiquei) mas que para já não quero explicar…
Voltando ao tema sobre capar; e como já referi mais acima, as primeiras flores que aparecem são machos, e o capar fará com que as flores fêmeas apareçam mais cedo, simplesmente… (bem…também já li que capar aumenta o sabor e a qualidade do fruto, como se fosse um enxerto numa árvore de frutos. Têm lógica!)
  
@@ - A imagem da flor macho e da flor fêmea é de uma abóbora, mas é exactamente igual com os melões, melancias, etc.
Vamos lá então capar melões...
Insiro link`s estrangeiros porque não encontro portugueses, e também porque não sei trabalhar com o Paint (ou lá como se chama a geringonça...), doutra maneira fazia eu as imagens.
Aconselho vivamente a SÓ praticarem o capar/podar da primeira imagem! Estamos em Portugal (calor) e não precisamos de apressar tanto a natureza.
A imagem mostra uma vinha de melão com 7 folhas (as duas “folhas” que estão quase junto do chão não contam; são uma espécie de orelhas… mas podem ser cortadas, com 1mm desviada do “tronco” da vinha, só para evitar que atraia doenças. Estas são as primeiras a nascer mas depois não se desenvolvem mais). Dizia eu que a imagem mostra 7 folhas, e quando a vinha do melão tiver um palmo, corta-se 2 dedos acima da segunda folha, sem ferir os “olhinhos” que despontam nestas 2 folhas, junto do caule principal, que fará aparecer 2 novos “braços” (vê-se na segunda imagem).
As outras imagens não comento, porque, repito, não há necessidade para Portugal!


Carregar  Aqui

Este Aqui mostra como capar melões, pepinos e abóboras (Eu não tenho a mínima intenção de praticar isto nos pepinos e abóboras).

Muito interessante este Aqui, com excelentes dicas para outros hortícolas!

Com este Aqui já aprendi mais alguma coisa. Este sistema de cortar uma guia (ou braço) do melão, colocar em água para ganhar raiz e depois poder de novo planta-lo na terra, ganhando assim mais um pé de melão, é interessante...
Este sistema já o conhecia nos tomates, com os ramos "ladrões". Quem gostar muito de uma espécie de tomate, e pretende duplica-lo, sem precisar de semear de "raiz" (semente), basta cortar um ramo ladrão, colocar num jarro de água (convém que seja transparente) e deixa-lo ao Sol alguns dias para ganhar algumas raízes, e depois é só colocar na terra.

*******************************************************************
Neste momento já existe um post mais completo sobre capar melões.
Pode ser encontrado com o título de "Capar Melões - Desenhos"  (31 de Julho de 2012), ou então basta carregar no link que se segue:
http://paixaodahorta.blogspot.pt/2012/07/capar-meloes-desenhos.html

18 comentários:

Anónimo disse...

olá
vou ser breve.
se tiver sementes de pimento zizi agradecia que me respondesse ,pois queria algumas.
muito obrigado.
continuação de boas culturas.

jose.jvalente@portugalmail.pt

fico aguardar.

Paixão da Horta disse...

Não, não tenho sementes de pimento zizi; aliás não gosto dessa fruta - gosto mais de meloas e melancias...
Se reparar melhor...este post onde deixou o comentário trata de melões e não de tomates ou pimentas.

Fernando Miranda disse...

É muito meritória a sua paixão pelas hortas, mas no seu post apresenta algumas incorreções. Cito apenas algumas poucas para não ser fastidioso:
As meloas e alguns melões não têm flores fêmeas (flores femininas),mas sim hermafroditas.
Uma flor fêmea não tem pólen (o pólen existe nas flores masculinas e nos orgãos masculinos das flores hermafroditas)

Segundo, o pólen de uma flor fêmea, segundo li num site estrangeiro, só é viável por um dia,

Rui Esteves disse...

Gostei do Post e fiquei elucidado mas continua a dizer que não troco o fermento de padeiro por nada ;-))

Um abraço

Paixão da Horta disse...

Rui, ao pronunciares o "fermento de padeiro" estás-te a habilitar a uma valente reprimenda tipo «lição de boas maneiras - de Paula Bobone».
Eu não li o livro mas já ouvi comentários.
Estou-te a dizer isto porque eu já recebi a "prenda", num destes dias, do "dono da patente" do fermento de padeiro.
Andamos aí em blogues a brincar com o tema, e o dono da patente...andou a ler, não gostou e "serviu-me o almoço"...
Prepara-te para receberes um mail do amigo...

Marisa disse...

Olá uma referencia em inglês em que no inicio do artigo explica que dependendo da variedade, as meloas (e os pepinos), podem ter flores femininas e masculinas ou hermafroditas etc etc como já foi referido. Eu acho bem que os convidados ou visitantes façam comentários nos blogs e tentem corrigir, mas mesmo que sejam mestres doutorados no assunto e estejam hipercorrectos (o que nem sequer é o caso) um pouco de humildade e cortesia fica sempre bem. Ou então podem manter-se calados. Bis e bom trabalho.

Marisa disse...

Ps: http://www.pnas.org/content/69/3/717.full.pdf faltava o link.... Bjs

Paixão da Horta disse...

Olá Marisa,

O seu link é útil para interessados, e que percebam inglês. Como sabe eu não percebo, no entanto fiz download do artigo e depois copiei para a tradução online, onde traduzi para português e francês.
A tradução não saiu lá grande coisa.. além disso o artigo é demasiado técnico para um leigo como eu, no entanto entendi algumas coisas, entre as quais saliento uma: a temperatura joga aqui o papel de "trunfo", pois as flores se nascerem num dia frio/ventoso/chuva serão na maior percentagem femininas, se as flores nascerem num dia quente, a percentagem de nascerem flores masculinas é enormemente superior as femininas.
A Natureza no seu esplendor!

Quanto aos convidados ou visitantes em comentar no blog, pois eu permito que o façam, e até gosto que o façam (mas também confesso que a minha preguicite..."atrapalha" em responder em tempo útil - sou fraco "relações públicas"...).
Agora, como em todo o lado, eu tenho o direito de aceitar ou rejeitar os comentários deixados na respectiva caixa. E tenho apagado comentários provocadores, que muito sinceramente são sempre do mesmo artista...

Saudações,

P.S. - E os seus tomateiros já estão grandes (eu já tenho Jóias de Oaxaca)?!

Sansoni7 disse...

Olá
Este ano resolvi tentar «produzir» meloas...na vertical e plantadas em garrafões de água de 5 litros; 2012 para cada planta dispostos perpendicularmente. Depois de muitas tentativas, lá consegui que os seis pés pegassem e começassem a crescer. Chegou a altura da «capadura» e, ao pesquisar na net sobre o tema vim cá parar...e para ficar.
Boas culturas
Augusto

Paixão da Horta disse...

Viva,

Não há necessidade de capar meloas (eu nas meloas, só costumo capar um a dois pés - mas volto a repetir: não há necessidade)!
Cultivar em garrafões de 5L então é porque não tem muito espaço hortícola?...Se for esse o caso então é de louvar a iniciativa, se não for o caso, então também não entendo o porquê, pois é pouco espaço para as raízes se desenvolverem, e como tal não espere grande colheita.
Outra coisa: convêm ao menos cobrir os garrafões de negro, pois as raízes não suportam sol/dia.
Boas culturas hortícolas,
António

Sansoni7 disse...

Obrigado pelos conselhos.
Plantei seis pés de meloas....vou deixar duas sem capar para ver a diferença. A opção garrafões foi por não ter terreno para as meloas; isolei as paredes dos garrafões com tela idêntica a filtro de exaustor a pensar nas raízes....

Algumas fotos:

http://s234.photobucket.com/albums/ee288/Sansoni7/?action=view&current=DSCN4614.jpg

http://s234.photobucket.com/albums/ee288/Sansoni7/?action=view&current=DSCN4602.jpg

Boas culturas

Marisa disse...

Olá, os meus tomateiros estão muito bonitos, tenho é medo de falar alto, não vá dar-lhes alguma coisa... Quanto a tomates tenho um jóia oaxaca, o primeiro tomate dos semeados e o maior, e tb já tenho um negro da crimeia com muito bom aspecto e um black cherry. Tenho mais flores em vários tomateiros. Os tomateiros não estão muito grandes não sei se será o tamanho normal, mas estão bonitos. Será que se enraizar a partir de rebentos ladrão ainda vão a tempo? É que ofereci vários tomateiros mas ainda gostaria de dar a mais pessoas, não sei é se ainda dará...

Para o ano caso haja tempo vou experimentar semear alguns em Dezembro e pôr na terra mais cedo, pq os que comprei no mercado e foram para a rua cedo estão mais avançados. Claro podiam ter simplesmente morrido com o frio como os pobres pepinos, mas aceitando o risco penso q talvez valha a pena....

Por falar em pepinos, li em qq lado que caso lhes falte a água vão ficar amargos... Será mesmo ou uma questão de variedade ( estou de olho nos satsuki midori, mas este ano é ganhar experiência e os pepinos não estão tão bonitos como os tomates nem de longe nem ao perto). Semeei as variedades ashley e marketer... A ver vamos... Ainda vou é ao mercado comprar um variedade "pepino" a ver se são mais resistentes... Note-se os meus estão a sobreviver por conta qs própria ainda ninguém foi sulfatado cá em casa...
Até breve, bons cultivos!

Marisa disse...

Olá outra vez, há uma questão por responder relativo ao q era "mulch"... "mulching" é o uso de material orgânico (cascas de pinho, agulhas, aparas, palha, erva cortada, etc) ou inorgânico (gravilha, tela, etc) no solo para aumentar humidade, proteger das infestantes, etc no caso da consolda acho as espalhavam em torno dos tomateiros. A ideia foi retirada de um comentario sobre consolda nada muito tecnico.
Nao sei ao certo se a consolda tem assim tanto azoto,mas numa revista ao falarem de usar aparas de relva desse modo (como mulch e em tomateiros)que sao ricas em azoto, advertiam de nao ser muito boa ideia, pq nos tomateiros queremos tomates e nao folhas! E azoto em grds quant dao muitas folhas e poucos frutos/flores. Mas tambem como as aparas secam rapido e diminuem a quant de azoto ao secar nao sei se será assim tao importante, talvez dependa da quant usada e da rega e temp ambiente... Digo eu so fazendo suposicoes... Tb não sei a traducao do termo p português ... Como não tem nada a ver com o tópico se calhar é melhor não publicar... Até breve

Paixão da Horta disse...

Augusto,

Andei a ver algumas imagens do seu álbum - apenas uma centena...-, pois elas são tantas (mais de 1600), e sinceramente gostei do que vi.
Muitos parabéns! Tem uma horta muito estimada. Pequena mas cultivada e cuidada ao limite.
Essa paixão é imensa!
Gostei muito dos abrigos dos morangos - está bem conseguido.
Agora entendi o porquê das meloas em garrafões.
Uma pequena dica: colocar os garrafões ao contrário: o de cima deitado e o debaixo em pé. Eu sei que não é prático mas as raízes gostam de espaço em detrimento da profundidade. Ou então os dois deitados, um por cima do outro.

Já os tomateiros achei demasiada "ambição".
Não leve a mal Augusto, mas isso assim não vai dar grande coisa, pois os tomateiros gostam de espaço.
No mínimo um metro entre cada fileira, e 40cm entre cada tomateiro. Eu dei 40cm e já estou arrependido pois ainda nem a meio da altura vão e já se embaraçam uns aos outros. Demasiado abafado.

Saudações,
António

P.S. - Essas imagens são todas do fórum que participa, e que é do outro lado do Atlântico (não digo o nome porque você pode querer discrição)???

Paixão da Horta disse...

Olá Marisa,
Vou responder aos seus comentários só que hoje já não vou a tempo..dos anexar. Durante a semana, ok?
Saudações

Sansoni7 disse...

Olá paixão da horta e muito obrigado pelos comentários.
Meloas em dois garrafões horizontais parece-me bem, para já fica assim e vamos ver o que produz; e tenho fé que vou ter meloas. ;-)
Os tomateiros tem sido sempre assim, e o que se faz é capar e podar as folhas, mas reconheço que são pés a mais.
Pode divulgar o que entender...participo em vários foruns e blogs.
Obrigado
Augusto

Paixão da Horta disse...

Olá Marisa,
Só para dizer que respondi aos seus comentários por mail!
Cump,

Anónimo disse...

Muito boa tarde a todos. Acabei de ver este blog e fiquei alarmado,como há pessoas tão mesquinhas que vêm para aqui pôr em causa os seus conhecimentos,e,os conhecimentos dos outros. Afinal ainda ninguém sabe tudo,não é verdade? Pessoalmente já fiz cultivo de melões casca de carvalho em vários locais,todos diferentes. Tive sucesso em 2008 no Norte de Espanha. (Colhi lá os melhores melões de toda a minha vida.)Mas, como todos sabem,(há segredos que ainda não vi aqui revelados.) Queria só deixar aqui o meu apelo para não entrarem em desacordos, e procurarem ajudar todos aqueles menos experientes nestes assuntos.
Sem receios de títulos,ou rótulos,tal como diz o proverbio popular:(Um burro carregado de livros,é um Doutor.)
Divulguem aqui os vossos conhecimentos,ajudem todos os que visitam o blog,afinal andamos sempre a aprender.
Sem mais assunto
Muito sucesso nas colheitas.